Home » Universo CBD

Universo Cbd

No
1

Cannabis vs. Cânhamo vs. Marijuana

Existem vários tipos de planta de canábis: Cannabis Sativa, Cannabis Indica e Cannabis Rudelis.

O cânhamo (“hemp” em inglês) e a marijuana são frequentemente confundidos porque são 2 espécies da planta Sativa da Canábis.

A principal diferença entre o cânhamo e a marijuana são os diferentes níveis de CBD (canabidiol) e THC (tetrahidrocanabinol) no seu conteúdo, os canabinoides principais e mais estudados da planta da canábis.

 

O cânhamo contém naturalmente uma grande quantidade de CBD e apenas vestígios de THC, sendo ideal para beneficiar dos remédios medicinais da planta da canábis sem o efeito psicoativo (“high”), enquanto a marijuana contém uma grande quantidade de THC e apenas vestígios de CBD, sendo geralmente conhecido pelos seus efeitos recreativos.

Em conclusão, estamos a falar de marijuana em contextos recreativos em que os utilizadores procuram a sensação psicotrópica, enquanto o cânhamo está no polo totalmente oposto, sendo estudado pelas suas propriedades terapêuticas no corpo.

original-16.08-en
No
2

Canabinoides

Os canabinoides são os compostos ativos que são encontrados na planta da canábis. Existem mais de 100 canabinoides diferentes, e os mais estudados são canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC). Ao mesmo tempo, a literatura e os estudos no campo mencionam outros canabinoides tais como: CBDA (ácido canabidiólico), CBGA (ácido canabigerólico), CBG (canabigerol), CBN (canabinol), CBC (Canabicromeno).

Os canabinoides produzidos a partir de plantas, como o CBD, são conhecidos como fitocanabinoides e são uma das três categorias de canabinoides atualmente em estudo. As outras duas categorias são canabinoides endógenos, naturalmente produzidos pelo corpo humano e animal, e canabinoides sintéticos, produzidos em laboratório.

No
3

THC, um canabinoide controverso

THC (tetrahidrocanabinol) é o componente psicoativo da planta da canábis (a que dá a sensação de “high”) e é encontrada em até 30% da planta de marijuana (não a de cânhamo). Assim, o THC é responsável pela euforia tipicamente associada ao consumo recreativo (por diversão) de marijuana. Consumido em grandes quantidades e repetidamente, o THC pode levar a mudanças na forma como o cérebro percebe a realidade e o aparecimento do vício no corpo.

Atualmente, o tetrahidrocanabinol (THC) está classificado na categoria de drogas de risco na Roménia, pelo que a comercialização e consumo de produtos THC, independentemente da concentração, é estritamente proibida no território do país e enquadra-se na incidência de atos criminosos. Os produtos HempAID® são acompanhados pelo certificado de análise que atesta o nível de 0% THC.

No
4

Sistema endocanabinoide

Descoberto em 1988, o sistema endocanabinoide (SE) é provavelmente um dos sistemas mais importantes do corpo humano porque é responsável por manter em parâmetros ideais todos os outros sistemas do corpo, bem como as suas funções normais (homeostase), desde a temperatura corporal e pH do sangue, até à pressão arterial e níveis de açúcar no sangue.

Os componentes da SE são: recetores canabinoides (CB1 e CB2), canabinoides endógenos (que estimulam a SE ao interagir com recetores) e enzimas (responsáveis pela destruição dos endocanabinoides uma vez concluídas as suas tarefas).

Os recetores CB1 estão localizados predominantemente no sistema nervoso central e são responsáveis por certos processos mentais e psicológicos: hipocampo (memória), córtex cerebral (cognição), cerebelo (coordenação motora), gânglios basais (movimento), hipotálamo (apetite) e amígdala cerebral (emoções).

Os recetores CB2 têm um papel importante na modulação da dor, inflamação e funcionamento ideal do sistema imunitário.

Com estes recetores também interagem os canabinoides na planta da canábis.

No
5

CBD Full Spectrum vs. Broad Spectrum vs. Isolate (Espectro Completo vs. Espectro Largo vs. Isolado)

CBD Full Spectrum contém todos os compostos naturais benéficos presentes na planta da canábis.

Estes são canabinoides (CBD, THC, etc.), terpenos (uma classe de substâncias presentes numa grande variedade de plantas que influenciam o aroma, o sabor e a cor, ajudando também a proteger a planta contra condições climáticas adversas e pragas, tendo o potencial de influenciar o humor, a função imunitária, o apetite e o sono) e os flavonoides  (um grupo de compostos presentes em determinadas plantas, frutas, produtos hortícolas e alimentos com propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anticancerígenas que proporcionam uma boa proteção do sistema nervoso e cardiovascular).

O CBD Broad Spectrum contém todos os componentes da planta de canábis acima mencionada, com exceção do THC.

O CBD Isolate contém apenas CBD e é frequentemente encontrado em forma de cristais ou pó.

Em 2005, um estudo concluiu que um óleo de CBD Full Spectrum tem propriedades medicinais mais elevadas do que o CBD isolado. Contém todos os canabinoides e outros compostos da planta de canábis e uma sinergia terapêutica benéfica chamada efeito de comitiva (entourage effect) é obtido.

 

FULL SPECTRUM EXTENDED BROAD SPECTRUM BROAD SPECTRUM ISOLATE
CBD
CBDA extra
CBGA extra
THC
TERPENOS
FLAVONOIDES

 

A relação entre canabinoides, terpenos e flavonoides pode ser ilustrada pelo jarro abaixo, que desempenhará o papel da planta de cânhamo.

Primeiro, enchemos aquele frasco com pedras; estes são os canabinoides, o maior grupo de compostos. Posteriormente, usamos pedras menores para preencher as lacunas criadas; estes são terpenos. Finalmente, para encher o jarro, despejamos areia, que ilustra os flavonoides e outros compostos essenciais.

ha-800x150
No
6

Extended Broad Spectrum, solução HempAID®

Estamos confiantes nos efeitos promissores que a planta da canábis tem na saúde do corpo humano. Por esta razão, criámos uma fórmula de óleo de cânhamo com CBD, o canabinoide mais conhecido e estudado, cujos efeitos foram confirmados por vários estudos sobre várias doenças. Para potenciar a absorção e os efeitos do produto final, adicionámos quantidades suplementares de ácido canabigerólico (CBGA) e ácido canabidiólico (CBDA), os primeiros compostos naturais na planta jovem da canábis.

Assim, a nossa fórmula cumpre as disposições legais em vigor (0% THC) e assegura a presença do efeito de comitiva (explicado abaixo).

CBGA ou ácido canabigerólico é considerado o canabinoide “mãe”, o precursor de todos os outros canabinoides presentes na planta da canábis. Nas fases iniciais da vida, a planta de canábis tem um alto teor de CBGA, e à medida que a planta amadurece, o CBGA transforma-se em outros canabinoides como CBDA, CBD, THCA e THC.

Enquanto o CBD e o THC são encontrados em proporções de até 30% em plantas de canábis, o CBGA é um canabinoide raro, encontrado em proporções de cerca de 1%.

Atualmente, estudos para pacientes com epilepsia sugeriram uma maior eficiência do CBGA do que o CBD.

CBDA ou ácido canabidiolico é o primeiro composto natural que surge na planta de cânhamo maduro e a partir do qual o CBD é obtido através do procedimento conhecido como descarboxilação.

De acordo com estudos realizados até à data, a presença de CBDA juntamente com o CBD potência os efeitos deste último, bem como a interação com uma série de recetores no corpo responsável pela memória, humor, sono, náusea e inflamação.

No
7

Efeito de comitiva

Os efeitos benéficos da planta de cânhamo são multiplicados quando todos os compostos da planta de canábis (canabinoides, terpenos e flavonoides) são administrados em conjunto. O efeito de comitiva é a sinergia terapêutica destes compostos.

Assim, embora cada composto tenha os seus próprios efeitos benéficos, para efeitos máximos recomenda-se o consumo de um produto de espectro completo que cumpra as disposições legais em vigor (para o regime legislativo do THC, ver acima).

Os produtos HempAID® foram criados com base numa fórmula que garante a presença do efeito de comitiva (Extended Broad Spectrum).

No
8

Biodisponibilidade (Bioavailability)

Este termo comum na literatura define a taxa de absorção do CBD no corpo consoante o modo de administração. Assim, os estudos clínicos concluem que o método de administração mais eficaz é debaixo da língua (sob a língua), sob a forma de óleo de CBD.  O efeito no corpo surge em cerca de 20 minutos após a administração e tem um efeito de até 6 horas.

Outras formas de administração do CBD estudadas em programas clínicos e científicos são a aplicação local, ingestão ou inalação, cada uma tendo vantagens e desvantagens.

No
9

Estudos

Existem estudos segundo os quais a eficácia do CBD foi comprovada para um número significativo de doenças, condições e aflições. Desde condições crónicas como a epilepsia e a esquizofrenia até condições leves como a acne, o CBD pode ser um ingrediente chave que acompanha ou até substitui os tratamentos tradicionais.

Epilepsia – Na última década, dois fármacos baseados em CBD, usados para tratar os sintomas da esclerose múltipla e para combater as síndromes de Dravet e Lennox – Gastaut, duas formas raras de epilepsia – foram aprovados nos EUA pela FDA (Food and Drug Administration). Vários estudos clínicos têm demonstrado que o CBD pode reduzir a frequência de convulsões epiléticas na maioria dos pacientes por até 44%.

Doenças Crónicas – Existem vários estudos que mostram que o CBD alivia a dor crónica causada pela artrite, esclerose múltipla e outras condições.

Ansiedade e Depressão – Num estudo com pessoas que sofrem de perturbação de ansiedade social e fobia, os participantes tiveram reduções significativas nos sintomas de ansiedade e deficiência cognitiva.

Insónia – Em muitos casos, a insónia e os problemas relacionados com o sono acompanham os distúrbios de ansiedade. Num estudo dirigido a uma forma de PTSD pediátrico (Post Traumatic Stress Disorder – Transtorno de Stress Pós-Traumático), o CBD mostrou-se a melhorar consistentemente a qualidade do sono durante um período de 5 meses sem tomar outro medicamento farmacêutico.

Acne e outros problemas de pele – Estudos demonstraram que o CBD é eficaz em abrandar e inibir a produção de sebócitos, a principal causa da acne.

Alzheimer – Estudos recentes mostraram que o CBD reduz ou elimina o impacto da inflamação, acumulação de oxigénio e o declínio das células cerebrais, sintomas encontrados com esta doença.

Autismo – Um estudo realizado em Israel concluiu que o CBD pode aliviar alguns dos sintomas de pessoas com autismo, incluindo convulsões, agitação e ataques de raiva.

Parkinson’s – Canabinoides como o CBD têm demonstrado conter protetores cerebrais eficazes, antioxidantes e ricos em propriedades anti-inflamatórias benéficas para a gestão destes sintomas.

Vícios (drogas, álcool, tabaco) – De acordo com estudos, o CBD também pode ser usado por quem quiser derrotar o vício da nicotina ou dos opiáceos, aliviando os sintomas causados pela retirada.

Esquizofrenia/Psicose – Estudos têm reportado melhorias significativas nestas condições para pacientes que não responderam à medicação convencional e recorreram ao CBD.

Cancro – Náuseas e vómitos são dois dos sintomas mais comuns da quimioterapia. Estes sintomas podem ser tão intensos que entre 25%-50% dos pacientes optam por adiar ou mesmo recusar este tratamento. Estudos demonstraram que o CBD pode controlar e reduzir os náuseas e vómitos causados pela quimioterapia.

Há também cada vez mais estudos em curso que sugerem que o CBD pode facilitar a morte das células cancerígenas e retardar a propagação de células cancerígenas agressivas no cancro da mama.

Para mais detalhes sobre os estudos especializados, digitalize o código QR.

We are social